Blog

Fique por dentro de conteúdos e artigos interessantes acessando nosso blog.

Doenças oculares na terceira idade

A terceira idade, para muita gente, é sinônimo de vivência, conhecimento, experiência e cuidado (principalmente com os outros). Nessa fase da vida, é comum direcionarmos toda a atenção para os filhos e netos, quando na verdade também precisamos olhar para dentro e sentir o que o corpo tem a nos dizer.

De acordo com os dados do IBGE, daqui a 10 anos, o Brasil deve chegar a mais de 38,5 milhões de pessoas com mais de 60 anos, o que representará 17,4% da população. Esse dado, por si só, já ressalta a importância de reconhecermos o envelhecimento do brasileiro e pensarmos em alternativas para garantir a saúde e qualidade de vida dessas pessoas.

Com o passar dos anos, em função de um desgaste natural do organismo, nos tornamos mais propensos a desenvolver doenças, e por isso precisamos manter um acompanhamento médico mais próximo.

No universo da oftalmologia, por exemplo, dá para destacar a perda de foco, dificuldade para enxergar de perto, má distinção das cores e maior sensibilidade à luz, sinais que podem ser abordados em uma consulta preventiva com o oftalmologista.

PRINCIPAIS DOENÇAS OCULARES

– Presbiopia: muito comum a partir dos 40 anos, também é chamada de “vista cansada”, e caracterizada pela dificuldade de enxergar de perto, o que leva as pessoas a esticarem o braço para focalizar melhor. Apesar de parecer simples, esse problema dificulta diversas atividades do dia a dia, como a leitura.

– Glaucoma: é quando há danos ao nervo óptico, normalmente causados pelo aumento descontrolado da pressão intraocular. Diante de um diagnóstico tardio e tratamento inadequado, compromete a visão periférica e pode evoluir para a cegueira irreversível.

– Retinopatia Diabética: como o próprio nome indica, está relacionada ao descontrole do índice glicêmico. Neste caso, o excesso de açúcar no organismo compromete a estrutura dos vasos sanguíneos da retina, que se tornam frágeis e suscetíveis a rompimentos. Assim como o caso anterior, pode levar à perda da visão.

– Catarata: a principal causa de cegueira reversível. É conhecida pela perda da transparência do cristalino, a lente natural dos nossos olhos. Esse processo de opacificação nos faz enxergar sem o foco adequado, com as imagens distorcidas. Com o passar do tempo, evolui e compromete a visão, até que seja tratada cirurgicamente.

– Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): muito comum a partir dos 50 anos, ela afeta a região central da retina, principalmente em pacientes com maus hábitos de vida, fumantes e com histórico familiar da doença. Entre os principais sintomas está a perda da visão central, que normalmente é notada quando o quadro já está agravado.

De modo geral, todas essas doenças tem algo muito importante em comum: a necessidade de adotar bons hábitos de vida e se consultar com um oftalmologista regularmente, mesmo que não tenha percebido nenhuma irregularidade na visão. Em muitos casos, o check-up pode detectar uma doença em fase inicial e agilizar o tratamento, aumentando consideravelmente as chances de cura e manutenção da qualidade de vida.

Conte com o apoio dos nossos oftalmologistas para cuidar do seu sentido mais precioso. Caso tenha alguma dúvida, agende uma consulta pelo telefone (34) 3214-3033.

IOSG – Há mais de 40 anos trazendo mais detalhes em sua vida!

Fonte:
Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Revista Veja Bem. Ano 07. Ed. 22. 2019.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *