Blog

Fique por dentro de conteúdos e artigos interessantes acessando nosso blog.

Checklist para a segurança dos olhos no trabalho

Você sabia que, no Brasil, o olho é a quinta parte do corpo humano mais atingida pelos acidentes de trabalho? De acordo com os dados da Previdência Social, ele perde apenas para os dedos, mãos, pés e joelhos, e os números poderiam ser bem menores se muitos trabalhadores e empresas respeitassem a necessidade de utilizar óculos de proteção e garantissem o cumprimento de outros bons hábitos.

Sobre esse assunto, tem um outro fato que passa despercebido: nem todos os óculos são iguais. De modo geral, eles se diferem pela estrutura e cor das lentes:

– Proteção lateral total: são os mais comuns, que impedem a entrada de partículas multidirecionais e radiação UV;

– Protetor com perfuração: indicados para uso em ambientes mais quentes, pois permitem a ventilação e não embaçam a lente;

– Protetor fixado em tela de aço: é recomendado para atividades que apresentam risco de perfuração ocular por partículas mais pesadas;

– Proteção lateral fixa: garantem uma melhor visão periférica e são mais utilizados em atividades de baixo risco;

– Lentes amarelas: indicadas para ambientes e condições de pouca luz. São ideais para direção noturna;

– Lentes cinzas: protegem melhor contra o excesso de luminosidade do sol e contra as faíscas de solda que irritam os olhos;

– Lentes laranjas: melhoram a visão de contrastes, independente da iluminação local;

Vale a pena ressaltar que a cor das lentes tem um papel fundamental na visibilidade, ofuscamento e conforto visual. Saber escolhe-las faz bem não só para os olhos, mas também evita outros acidentes de trabalho motivados pela visão encoberta.

CHECKLIST QUE TODOS DEVEM SEGUIR NO TRABALHO

Saiba o que fazer junto à empresa para garantir a segurança dos seus olhos durante as atividades, principalmente se você já tem algum diagnóstico de problema ocular que afete a acuidade visual, como a miopia, hipermetropia e o astigmatismo:

1)    Avalie todos os riscos aos quais você está sujeito. Há chances de contaminação, infecção, queimadura ou emissão de partículas que podem perfurar o seu olho?

2)    De acordo com esses riscos, o ambiente em que você trabalha e a atividade que desempenha, escolha um óculos ou Equipamento de Proteção Individual (EPI) adequado. O resumo que fizemos logo acima ajuda bastante nessa etapa.

3)    Mantenha-se sempre atento(a) durante o trabalho, adotando uma postura defensiva e boas práticas de segurança.

4)    Certifique-se de que a empresa tenha recursos necessários para primeiros socorros. Considere também a disponibilidade de pelo menos uma pia para lavar os olhos e higienizar as mãos sempre que for preciso.

5)    Sempre que tiver contato com qualquer produto contaminado (sangue, elementos químicos, mucosas etc.), jamais toque os olhos.

6)    Faça avaliações oftalmológicas periódicas.

O QUE FAZER EM CASOS DE ACIDENTE?

– Caso tenha uma queimadura química, lave os olhos com bastante água limpa e corrente.

– Não use colírios anestésicos indiscriminadamente. Sempre consulte um profissional antes.

– Não coce e nem aperte o globo ocular diante de uma irritação.

– Se houver uma lesão ou perfuração você pode providenciar uma bandagem no olho afetado, mas sem comprimi-lo.

– Nunca tente retirar qualquer corpo estranho que tenha entrado no olho, principalmente se houver uma perfuração.

– Sempre que houver um acidente ocular, procure atendimento médico o quanto antes, sem se automedicar ou esperar um tempo para acompanhar os sintomas.

Caso tenha alguma dúvida sobre saúde ocular e queira agendar um horário com os nossos especialistas, fique à vontade e ligue para o (34) 3214-3033.

Fonte:
Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Revista Veja Bem. Edição 15. Ano 06. 2018

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *