Monthly Archives - fevereiro 2021

Aprenda 5 formas de cuidar da sua visão

O bem-estar dos olhos tem grande influência sobre a nossa qualidade de vida. Enxergar bem é ter a possibilidade de desempenhar atividades no dia a dia, ser independente, adquirir conhecimento e gravar detalhes memoráveis ao lado da família e dos amigos.

E para que tudo isso aconteça da melhor maneira possível, precisamos nos atentar a alguns hábitos de vida que, apesar de simples, acabam sendo deixados de lado.

ALIMENTE-SE BEM

É claro que este não é o único fator, mas pode ser um bom ponto de partida.

A saúde ocular pode ser fortalecida através de uma alimentação equilibrada, com o consumo adequado de macronutrientes e a inclusão diária de vitaminas A, C, E, zinco, antioxidantes, ômega 3, luteína e zeaxantina.

Capriche na ingestão de peixes, cenoura, laranja, amêndoas, amendoim, ovo, couve, brócolis e outros vegetais verde-escuro, morango e linhaça.

CUIDE DO SEU PESO

Tão importante quanto saber o que comer, é saber o que evitar comer. O consumo elevado de sal, gorduras, alimentos ultraprocessados e açúcares está ligado ao aumento calórico que, a longo prazo, beneficia o ganho de peso.

Há um consenso na ciência e medicina de que a obesidade aumenta o risco de desenvolver doenças como diabetes e hipertensão, dois grandes perigos aos olhos.

LAVE SUAS MÃOS

Você já reparou na quantidade de lugares diferentes que toca ao longo do dia? Saiba que as nossas mãos são uma grande fonte de impurezas, vírus e bactérias que podem causar desde uma simples irritação até uma conjuntivite mais séria.

Mantenha-as limpas sempre que puder, principalmente antes e depois de usar colírios, maquiagens, pomadas ou lentes de contato.

USE ÓCULOS DE PROTEÇÃO

Uma exposição exagerada ao sol sem os devidos cuidados, a longo prazo, deixa os olhos desprotegidos da radiação UVA e UVB, diretamente ligadas ao surgimento de catarata, pterígio, degeneração macular e muitos outros problemas. Para evitar complicações, utilize óculos de sol de qualidade e, se possível, considere também os chapéus e bonés.

Além disso, no trabalho ou durante a prática esportiva, mantenha a visão protegida de traumas e lesões.

CONSULTE UM OFTALMOLOGISTA REGULARMENTE

Mesmo que você não esteja sentindo nada de estranho com os olhos, é muito importante se consultar com um médico no mínimo uma vez ao ano. Doenças como o glaucoma, degeneração macular e retinopatia não costumam causar sintomas nas fases iniciais, o que dificulta o diagnóstico precoce e pode comprometer a eficácia do tratamento.

Caso tenha alguma dúvida, os nossos oftalmologistas estão à sua disposição. Temos especialistas e estrutura de ponta para te ajudar do diagnóstico ao tratamento. Agende sua consulta pelo telefone (34) 3214-3033.

Fontes:

Conselho Brasileiro de Oftalmologia. https://www.cbo.com.br/novo/publicacoes/condicoes_saude_ocular_brasil2019.pdf

https://www.vejabem.org/uploads/arquivos/1585861945-5.PDF

Healthline.

https://www.healthline.com/health/how-to-improve-eyesight

Read more...

A epidemia da MIOPIA

Quando abrimos os olhos, os raios de luz atravessam a nossa córnea e chegam à retina, quando se encontram em um mesmo ponto e formam a imagem que enxergamos. Para algumas pessoas, esse processo é concluído de um jeito um pouco diferente, como é o caso dos míopes.

Quem tem miopia possui o globo ocular um pouco mais longo que o “comum”, fazendo com que a imagem seja formada à frente da retina e não fique nítida se estiver distante dos olhos. Geralmente esse quadro surge ainda na infância, por diversos fatores, e progride até a adolescência, quando costuma estabilizar.

Nos últimos anos, o aumento repentino e abundante no número de casos tem preocupado a medicina. De acordo com a The International Agency for the Prevention of Blindness (IAPB), cerca de 28% da população mundial tinha miopia em 2010, e a expectativa é que até 2050 esse valor chegue aos preocupantes 50%. Para se ter uma ideia, há países na Ásia em que essa taxa chega a 70% entre as pessoas com 17 anos ou mais.

Diversos pesquisadores têm se dedicado a estudar possíveis causas que expliquem esse “boom” de olhos míopes, e há um consenso de que o problema pode estar em dois hábitos muito comuns da nova geração: o excesso de luz artificial e a falta de luz natural.

É cada vez mais frequente o uso indiscriminado de notebooks, smartphones e tablets, dispositivos que são posicionados muito próximos do rosto e demandam grande esforço dos olhos. Esse problema foi observado por cientistas americanos, que descobriram que essas luzes artificiais podem ser absorvidas por células da retina que, por sua vez, estimulam o crescimento do olho. Por outro lado, passar mais tempo ao ar livre reduz tais riscos e ainda beneficia o nosso organismo como um todo.

Com os devidos acompanhamentos oftalmológicos, a miopia pode ser controlada e não oferece grandes riscos à visão. Entretanto, quando descuidada, pode aumentar significativamente as chances de um descolamento de retina, glaucoma, catarata e degeneração macular, todos passíveis de evoluir para a cegueira.

Quando o médico identifica o problema em um exame simples, são indicados óculos ou lentes de contato que corrigem a formação da imagem da retina e devolvem a boa visão ao paciente.

A partir dos 18 anos, quando o grau tende a estabilizar – e se não houver contraindicações – é possível recorrer à cirurgia refrativa à laser para intervir nas estruturas do globo ocular e da córnea, e eliminar a necessidade de uso dos acessórios. Temos um conteúdo especial sobre esse procedimento, e você pode conferi-lo clicando aqui.

Caso tenha alguma dúvida, os nossos oftalmologistas estão à disposição. Temos especialistas no assunto que podem te ajudar do diagnóstico ao tratamento. Agende sua consulta pelo telefone (34) 3214-3033.

Fontes:

Mani A, Schwartz GW. Circuit Mechanisms of a Retinal Ganglion Cell with Stimulus-Dependent Response Latency and Activation Beyond Its Dendrites. Curr Biol. 2017 Feb 20;27(4):471-482. doi: 10.1016/j.cub.2016.12.033. Epub 2017 Jan 26. PMID: 28132812; PMCID: PMC5319888.

As Condições da Saúde Ocular no Brasil. Conselho Brasileiro de Oftalmologia. 2019.

https://www.cbo.com.br/novo/publicacoes/condicoes_saude_ocular_brasil2019.pdf

www.wired.co.uk

Read more...

Como tratar o ESTRABISMO na infância

O estrabismo, popularmente chamado de “vesguice”, é um defeito visual conhecido pelo desalinhamento de um ou de ambos os olhos. Além de incomodar pela questão estética, quando negligenciado, também pode oferecer riscos à visão das crianças.

Este problema é classificado em diferentes tipos, que ainda podem se combinar:

– Estrabismo convergente ou esotropia: quando o olho aponta para o nariz.
– Estrabismo divergente ou exotropia: quando o olho é virado para o lado de fora do rosto, ou seja, para a orelha.
– Estrabismo vertical ou hipertropia: quando o olho aponta para cima ou para baixo.

Na maioria dos casos, as crianças são diagnosticadas entre o primeiro e quarto ano de vida, e raramente desenvolvem a doença após os 6 anos. A principal causa é um desequilíbrio na musculatura que sustenta e controla o movimento ocular, mas há fatores de risco menos comuns como o retinoblastoma, fraturas da órbita ocular, Síndrome de Down e Hipermetropia Excessiva.

QUAIS OS PERIGOS DO ESTRABISMO?

Quando os olhos estão desalinhados, o cérebro recebe duas imagens visuais diferentes e muitas vezes “ignora” uma delas. A longo prazo, esse processo desacelera o desenvolvimento do olho afetado (ambliopia) e pode causar baixa visão. Estima-se que o estrabismo ocorra em aproximadamente 3% das crianças, e que até metade delas apresentem algum comprometimento visual decorrente desse mal.

Na ausência de tratamento até os 7 anos, quando o olho termina de amadurecer, a criança corre o risco de ter sua visão deteriorada o suficiente para atrapalhar atividades simples do dia a dia.

COMO TRATAR, ENTÃO?

O objetivo, em qualquer situação, é equilibrar a acuidade visual e depois alinhar os olhos.

Muitas vezes o estrabismo é resolvido naturalmente ou então por meio de um tapa-olho, óculos ou lentes de contato que estimulem o fortalecimento da musculatura. Uma outra possibilidade é a recomendação de colírios de atropina que obscurecem levemente a visão do olho saudável para forçar a atividade do que está desalinhado.

Quando o caso é mais sério e não há resposta adequada a esses tratamentos, um oftalmologista pode indicar a cirurgia, destinada a afrouxar ou tensionar os músculos que estão causando o desequilíbrio.

Para evitar complicações e garantir uma visão saudável, é muito importante manter as consultas oftalmológicas em dia, inclusive com check-ups anuais. Pensando no bem-estar das crianças, o cuidado começa ainda na barriga da mamãe, com o pré-natal.

Caso tenha alguma dúvida, os nossos oftalmologistas estão à disposição. Temos especialistas no assunto que podem te ajudar do diagnóstico ao tratamento. Agende sua consulta pelo telefone (34) 3214-3033.

Fontes:
KidsHealth. Disponível em: https://kidshealth.org/en/parents/strabismus.html

Estrabismo. Disponível em:
https://www.cbo.net.br/novo/publico-geral/o-que-e-estrabismo-.php

Read more...

Doenças oculares na terceira idade

A terceira idade, para muita gente, é sinônimo de vivência, conhecimento, experiência e cuidado (principalmente com os outros). Nessa fase da vida, é comum direcionarmos toda a atenção para os filhos e netos, quando na verdade também precisamos olhar para dentro e sentir o que o corpo tem a nos dizer.

De acordo com os dados do IBGE, daqui a 10 anos, o Brasil deve chegar a mais de 38,5 milhões de pessoas com mais de 60 anos, o que representará 17,4% da população. Esse dado, por si só, já ressalta a importância de reconhecermos o envelhecimento do brasileiro e pensarmos em alternativas para garantir a saúde e qualidade de vida dessas pessoas.

Com o passar dos anos, em função de um desgaste natural do organismo, nos tornamos mais propensos a desenvolver doenças, e por isso precisamos manter um acompanhamento médico mais próximo.

No universo da oftalmologia, por exemplo, dá para destacar a perda de foco, dificuldade para enxergar de perto, má distinção das cores e maior sensibilidade à luz, sinais que podem ser abordados em uma consulta preventiva com o oftalmologista.

PRINCIPAIS DOENÇAS OCULARES

– Presbiopia: muito comum a partir dos 40 anos, também é chamada de “vista cansada”, e caracterizada pela dificuldade de enxergar de perto, o que leva as pessoas a esticarem o braço para focalizar melhor. Apesar de parecer simples, esse problema dificulta diversas atividades do dia a dia, como a leitura.

– Glaucoma: é quando há danos ao nervo óptico, normalmente causados pelo aumento descontrolado da pressão intraocular. Diante de um diagnóstico tardio e tratamento inadequado, compromete a visão periférica e pode evoluir para a cegueira irreversível.

– Retinopatia Diabética: como o próprio nome indica, está relacionada ao descontrole do índice glicêmico. Neste caso, o excesso de açúcar no organismo compromete a estrutura dos vasos sanguíneos da retina, que se tornam frágeis e suscetíveis a rompimentos. Assim como o caso anterior, pode levar à perda da visão.

– Catarata: a principal causa de cegueira reversível. É conhecida pela perda da transparência do cristalino, a lente natural dos nossos olhos. Esse processo de opacificação nos faz enxergar sem o foco adequado, com as imagens distorcidas. Com o passar do tempo, evolui e compromete a visão, até que seja tratada cirurgicamente.

– Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): muito comum a partir dos 50 anos, ela afeta a região central da retina, principalmente em pacientes com maus hábitos de vida, fumantes e com histórico familiar da doença. Entre os principais sintomas está a perda da visão central, que normalmente é notada quando o quadro já está agravado.

De modo geral, todas essas doenças tem algo muito importante em comum: a necessidade de adotar bons hábitos de vida e se consultar com um oftalmologista regularmente, mesmo que não tenha percebido nenhuma irregularidade na visão. Em muitos casos, o check-up pode detectar uma doença em fase inicial e agilizar o tratamento, aumentando consideravelmente as chances de cura e manutenção da qualidade de vida.

Conte com o apoio dos nossos oftalmologistas para cuidar do seu sentido mais precioso. Caso tenha alguma dúvida, agende uma consulta pelo telefone (34) 3214-3033.

IOSG – Há mais de 40 anos trazendo mais detalhes em sua vida!

Fonte:
Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Revista Veja Bem. Ano 07. Ed. 22. 2019.

Read more...